Sistema de disputa de pênaltis é injusto, segundo cientistas.

Categoria: Esportes , Criado em Segunda, 25 Abril 2011 22:07 Escrito por Robson Sousa ,
Imprimir E-mail
As cobranças de pênaltis no futebol dão uma vantagem psicológica à equipe que inicia as cobranças, de acordo com um estudo da London School of Economics and Political Science (LSE), no qual um dos autores sugere mudanças nas regras.
Os autores estudaram 2.820 cobranças em grandes partidas nacionais e internacionais entre 1970 e 2000. Eles concluíram que a equipe que inicia as cobranças vence em 60% dos casos.
"A maior parte das redes de televisão faz um intervalo publicitário no momento em que a moeda é lançada para decidir qual equipe cobrará primeiro. Mas nossos pesquisadores mostram que isso pode ser o momento decisivo após uma partida empatada", explicou Ignacio Palacios-Huerta, um dos coautores do estudo, publicado pela "American Economic Review".
Sistema de disputa de pênaltis é injusto, segundo cientistas
"A moeda dá uma vantagem de 20% à equipe que cobra primeiro. A pressão psicológica ligada ao fato de cobrar depois afeta claramente o desempenho da equipe que perde no cara-ou-coroa", acrescenta.
Palacios-Huerta e o outro coautor Jose Apesteguia, professor associado da Universidade Pompeu Fabra de Barcelona, também estudaram os vídeos de cara-ou-coroa de 20 partidas. Em todos os casos, à exceção de apenas uma, a equipe ganhadora opta por cobrar primeiro.
Eles também consultaram 240 jogadores e treinadores profissionais e amadores.
Quase todos declararam que preferiam cobrar primeiro explicando que queriam aumentar a pressão sobre o adversário.
Levando-se em consideração os resultados, Palacios-Huerta, professor da LSE, sugere aos dirigentes do futebol mundial que mudem as regras atuais e adotem no lugar um sistema de 'tie-break' inspirado no tênis, no qual os jogadores podem cobrar duas vezes seguidas.
"Isso reduziria muito a vantagem psicológica que beneficia o 'primeiro cobrador', já que a segunda equipe não ficaria tão pressionada", considera, acrescentando: "Não apenas seria mais justo, mas seria muito mais interessante para os torcedores neutros".