Ronaldo, que ídolo é esse?

Categoria: Esportes , Criado em Segunda, 21 Fevereiro 2011 09:23 Escrito por VcNaNeT ,
Imprimir E-mail
ronaldo-gordo-e-magroSou da geração Ronaldo. Ronaldo para mim é melhor que Pelé*. E como Pelé, de boa fechada é um poeta.
A falta de cuidado, carinho, para não dizer falta de respeito de Ronaldo com o Cruzeiro vem manchando nos corações celestes o grande castelo que construiu.
Lembro-me, como uma das mais doces lembranças de minha infância aqueles sá
bados e domingos em que eu, meu pai e Pedro (meu irmão mais novo) íamos ao Mineirão juntos. Eu e Pedro éramos mascotes, o que deixa as lembranças ainda melhores, como o dia em que Ronaldo pegou na minha mão, ou o dia em que Pedro foi levado ao campo guiado por aquela outra criança. Escrevo isso com os olhos marejados, pois estava lá, vi meu ídolo dar seus primeiro passo e que passos no futebol. A paixão pela bola me acompanha até hoje, meu irmão se desinteressou, tanto que foram poucas as vezes que fomos juntos ao campo depois daquela época.
ronaldo-cruzeiro-camisa-01gSou da geração Ronaldo. Ronaldo para mim é melhor que Pelé*. E como Pelé, de boa fechada é um poeta.
A falta de cuidado, carinho, para não dizer falta de respeito de Ronaldo com o Cruzeiro vem manchando nos corações celestes o grande castelo que construiu.
Lembro-me, como uma das mais doces lembranças de minha infância aqueles sábados e domingos em que eu, meu pai e Pedro (meu irmão mais novo) íamos ao Mineirão juntos. Eu e Pedro éramos mascotes, o que deixa as lembranças ainda melhores, como o dia em que Ronaldo pegou na minha mão, ou o dia em que Pedro foi levado ao campo guiado por aquela outra criança. Escrevo isso com os olhos marejados, pois estava lá, vi meu ídolo dar seus primeiro passo e que passos no futebol. A paixão pela bola me acompanha até hoje, meu irmão se desinteressou, tanto que foram poucas as vezes que fomos juntos ao campo depois daquela época.
Ronaldo, com aquele jeito moleque, até hoje me deixa sem palavras para descrever seus dribles e arrancadas. Acho que nunca veremos um raciocínio tão rápido no futebol, a única palavra além de fenômeno para descrevê-lo é gênio. Hoje posso olhar para trás e ver que ele saiu daqui muito cedo, antes de ganhar as coisas mais importantes que um clube pode dar ao jogador: caráter e gratidão. Sei que essas virtudes deveriam ser ensinadas em casa, mas em tempos que os atletas saem de casa tão cedo, cabe aos clubes papel de pais, e, nosso menino foi para o PSV (graças à visibilidade que ganhou aqui) cedo demais.
Longe de mim de dizer que Ronaldo é sem caráter, são os fatos que dizem. Desculpem-me os entendidos, mas jogar no Barcelona e depois no Real e na Inter e depois Milan, não é exatamente atitude de quem tem amor a camisa. Eu não sabia qual era o mal que a galinha paulista fez a cabeça de Ronaldo, ou melhor, o que a volta ao Brasil fez com ele, mas entendi que ele nunca foi movido pela paixão, mas pelo dinheiro, grande mal do futebol contemporâneo.
O jogador que deveria ter sabido a hora de parar quando voltou e nunca ter saído com... Mas conselhos só são bons depois que o fato já aconteceu, vai mais um: nunca cuspa no prato que comeu.
É a hora que todos começam a pensar: onde Ronaldo estaria se tivesse ficado no São Cristovam? O que teria sido da carreira dele se não tivesse sido vendido ao PSV? Eu respondo: um bom jogador sem oportunidade e magro até hoje. E lhes digo uma coisa com uma autoridade que nem eu se tenho, em BH, nosso amigo não passou fome, apenas não conheceu as facilidades de ganhar massa muscular que mais tarde lhe trariam problemas físicos.
Mais cedo ouvi de uma pessoa que admiro muito**, exatamente em uma discussão sobre Ronaldo que o cruzeirense não vive de gols, mas sim de títulos, argumento que leva toda raivinha por água a baixo, com Ronaldo, ganhamos somente o nosso querido (e inútil) Campeonato Mineiro. Então encerro a polêmica de nosso filho ingrato e desmemoriado. Dando ao jogador exatamente o valor que ele teve por aqui, jogador de campeonato mineiro.***
Agora o que o Ronaldo fez fora daqui, são outros 500... O cara é meu ídolo, e, por mais que ele não saiba sem aquelas tardes nos anos 90, carregando cinco estrelas no peito, ele não seria o Fenômeno e apenas Ronaldinho.