AMADOR DE CAETÉ: DESCHAMPS É CAMPEÃO INVÍCTO.

Categoria: Esportes , Criado em Segunda, 13 Dezembro 2010 00:31 Escrito por Robson Sousa ,
Imprimir E-mail

dechampsDeschamps e Natal fizeram um jogo morno na grande final do campeonato amador de Caeté, domingo no Municipal José Viana no centro da cidade, empatando em 0 x 0, com esse resultado o Deschamps é campeão do amador de Caeté, com uma campanha invicta. Em 15 jogos, o Deschamps venceu 12 e empatou 3.

dechampsDeschamps e Natal fizeram um jogo morno na grande final do campeonato amador de Caeté, domingo no Municipal José Viana no centro da cidade, empatando em 0 x 0, com esse resultado o Deschamps é campeão do amador de Caeté, com uma campanha invicta. Em 15 jogos, o Deschamps venceu 12 e empatou 3.

O Deschamps começou no ataque e já aos 3 minutos, Vinícius foi lançado e chutou para boa defesa de Emanuel. Rafael deu a resposta de imediato ao chutar com grande perigo pela linha de fundo. O jogo era aéreo com ligação direta da defesa com o ataque e os atacantes sofriam muito para colocar a bola no chão, pois todas vinham quadradas. Binho do Natal tinha muita dificuldade para imprimir velocidade aos ataques do Natal. Por outro lado o Deschamps, vinha com as investidas de Vinícius e Catê, que chegavam com muita rapidez ao ataque.

natalA charanga que campareceu ao estádio deu um ar de decisão a partida, colocando os torcedores ligados no jogo. Deninho e Marcinho do Natal insinuava muito pela esquerda fazendo com que Vilson do Deschamps se desdobrasse para defender e sair jogando. O técnico do deschamps, José Luciano, trocou Vilson por Erivelton, mas seu time não conseguiu sair jogando e teve sua lateral prejudicada pois não havia cobertura.

A equipe do Morro parecia estar satisfeita com o resultado, visto que as jogadas de atque ficaram escassas, o Deschamps também se abdicou do ataque e as jogadas se concentraram no meio campo ou no ar.

O segundo tempo, começou como o primeiro, com as equipes fazendo lançamentos e as defesas se sobrepondo aos ataques. Com o decorrer do tempo, o Natal percebeu que aquele resultado, não o interessava e a equipe do Morro, passou a frequentar mais a intermediária adversária, contudo sem mira, todas as bolas iam pela linha de fundo ou ficavam na mão do goleiro Henrique, que estava doido para levar um gol, com saídas estranhas da sua meta.

Júlio do Natal entrou no lugar de Binho, a substituição foi criticada pelo jogador que disse ao seu técnico, que precisando ganhar ele tira um atacante e coloca um meia, Júlio tomou cartão amarelo e depois de nove minutos em campo voltou a tomar cartão amarelo e por consequência o vermelho. Com um a menos em campo as coisa ficariam difíceis para a equipe do Morro. Mas o técnico do Deschamps, em vez de colocar um atacante, ele retirou umatacante e colocou um zagueiro, o que na prática fez com que o Natal não tivesse barreira para imprimir ataques envolventes. O Deschamps passou maus pedaços no término do jogo. Henrique tirou um gol feito de Deninho, que a queima roupa fuzilou. Aos 43 minutos Rafael cobrou falta que carimbou a junção da trave. E no último minuto Rinaldo, recebeu na entrada da área, levou para a grande área e mandou uma porrada que triscou o travessão e foi morrer na linha de fundo. O árbitr, apitou final de jogo e o Deschamps saiu para a comemoração, indo ao torcedor e agradecendo pelo apoio.

A premiação individual aconteceu assim que terminou o jogo. Emanuel do Natal, levou o troféu de melhor goleiro, Deninho do Natal, abocanhou o troféu revelação , Vinícius e Frederico, ambos do Deschamps, levaram o troféu de artilheiro com 16 gols cada.

Silvinho do Natal, Fábio Rosa do Vasquinho, Miguelão do Sesc, Elmer Pessin, Lele e José Maria, todos foram agraciados com o troféu especial, entregue as personalidades esportivas.

O Cia da Madeira através de Marçal, recebeu o troféu de terceiro lugar.

O Natal ficou com o troféu de vice campeão.

E o grande campeão, Deschamps, através de seu capitão Denilson, recebeu das mãos de Elmer, o troféu maior de todos oferecidos aos agraciados.


DESCHAMPS: Henrique, Vilson (Erivelton), Denilson, Glalcon, Marley, Pepe, João (João), Frederico (Guegue), Nandinho, Vinícius, Catê (Gercy). Técnico: José Luciano.

 

NATAL: Emanuel, Cláudio, Luís, Deivid, Marcinho, Rafael, Adriano, Marcelo, Helder (Rinaldo), Binho (Júlio), Deninho. Técnico: Silvinho.

 

ARBITRAGEM:  José Oliveira

                            Elizabeth Moreno

                            Cristóvom Siqueira.