Dá-lhe, Dá-lhe, Dá-lhe Galo!

Categoria: Esportes , Criado em Segunda, 08 Maio 2017 13:25 Escrito por Gabriel Francisco. ,
Imprimir E-mail

Hoje o dia amanheceu preto e branco para aqueles que vestem o manto alvinegro de Minas Gerais. O atlético quebrou a sequencia de dois anos sem vencer o Cruzeiro e ainda por cima, conseguiu conquistar o 44º título estadual. Com casa cheia no Horto, a festa não poderia ser diferente. O time carijó tomou iniciativa, partiu para cima durante os 90 minutos, não se intimidando contra a máfia celeste.

Logo aos doze minutos do primeiro tempo, roubada de bola de Robinho no meio de campo, que entregou na direita para Fred. Fred olhou o posicionamento de Robinho, (detalhe: Otero chegava por trás, por fora da área). Fred olhou seu posicionamento e deu-se de garçom para abrir o placar.

Lance Polêmico: Embora visível apenas aos olhos do monitor, Robinho estava em condição legal para ampliar ainda no primeiro tempo. A arbitragem assinalou impedimento que não houve dando prejuízo ao time preto e branco.

O time da casa segurou o 1x0 até os quarenta e oito do primeiro tempo. No intervalo, ambos os times voltaram modificado.

O cruzeiro precisava de qualquer maneira da vitória. Mano Meneses tirou Hudson e Arrascaeta colocando Abila e Raniel, respectivamente, para a entrada de um time, formando também o trio (ofensivo) com Alisson, que mais para frente entrou no lugar de Rafinha. Logo aos cinco minutos, no primeiro toque aéreo de bola, Ábila na área dominou no peito e num lindo e certeiro chute de voleio ampliou para o time celeste. Percebendo que o time tinha se exposto mais no setor de meio de campo e inclusive pelas laterais,

Roger Machado tirou Otero, colocando Maicossuel; Robinho para a entrada de Cazares e Elias para entrada de Danilo.

Quando o Equatoriano entrou, o jogo atleticano ficou mais movimentado. Ele, logo que acabou de entrar, confundiu a defesa celeste e tocou para Elias guardar, sagrando o time carijó a sua quadragésima  quarta taça estadual (Elias foi substituído após o fechar o placar de 2x1 para o Atlético. O Galo conquistaria a taça por vitória ou empate devido a melhor campanha.

Para Roger Machado foi a conquista mais especial. Como treinador ainda não havia conquistado sequer um título. Ele vê a conquista do Mineiro como uma das principais. Muito contestado pelos torcedores, ele afirma que isso é o inicio de uma grande caminhada.

ACONTECEU NOS BASTIDORES:

Os cruzeirenses afirmaram e reclamaram que as caixas de sons da Arena Independência estavam viradas para que o grito da Máfia Azul não ecoasse pelo cântico atleticano.

BRIGA ENTRE TORCEDORES:

Na região Barreiro houve uma desavença entre torcedores da Galoucura e da Máfia Azul

 

festa galo01