Mais um Banco Internacional faz critica a política econômica do Governo Dilma

Categoria: Destaques , Criado em Sexta, 01 Agosto 2014 15:18 Escrito por Alesson Alves ,
Imprimir E-mail

o Diretor do Morgan Stanley de mercados emergentes,   Ruchir Sharma, utiliza dado errado para basear crescimento médio do Brasil nos últimos três anos e criticar a desaceleração do crescimento brasileiro em relação aos países emergentes em entrevista publicada no site da revista Exame. 

640px-Morgan Stanley on Times Square
Foto: Morgan Stanley on Times Square - Wikipedia

Barbacena/MG, 01 de Agosto de 2014: Seguindo o Banco Espanhol Santander que na semana passada enviou extratos a correntistas de alta renda contendo um texto no qual diz que, “se a presidente se estabilizar ou voltar a subir nas pesquisas, um cenário de reversão pode surgir. O câmbio voltaria a se desvalorizar, juros longos retomariam a alta e o índice da Bovespa cairia, revertendo parte das altas recentes”. Já Banco Americano Morgan Stanley engrossa a lista de instituições financeira do exterior a criticar as políticas econômicas do país, porém dessa fez baseado em argumentos não puramente técnicos.   


O diretor de mercados emergentes do Morgan Stanley, o Indiano Ruchir Sharma que  administra 25 bilhões de dólares da carteira de investimentos de mercados em desenvolvimento do banco e tem como parte de seu trabalho percorrer o
mundo para observar a economia real desses países.Em visita ao Brasil em julho, ele concedeu uma entrevista para a Revista Exame, que foi divulgada no portal da revista nesta quarta feira, 30 de julho. Na entrevista com titulo "Brasil está ficando para trás, diz diretor do Morgan Stanley "  ele fala sobre economias que poderão se destacar nos próximos anos e como o Brasil correrá o risco de ficar para trás caso não empreenda reformas estruturais.

Crescimento do Brasil

 

Período

 

Variação 

percentual

real

2000

4,3

2001

1,3

2002

2,7

2003

1,1

2004

5,7

2005

3,2

2006

4,0

2007

6,1

2008

5,2

2009

-0,3

2010

7,5

2011

2,7

2012

1,0

2013

2,5

Fonte:IBGE  

O diretor do banco fala sobre diversos assuntos relacionados a economia brasileira e a economia dos emergentes  na qual destacou como os ciclos políticos funcionam em países emergentes. Para o indiano quando a economia de um país emergente vai bem, seus governantes ficam complacentes e acabam se descuidando das reformas necessárias ao desenvolvimento do ­país. Para ele Essas reformas costumam acontecer nos momentos decrise.

Ressaltando ainda que "estamos vendo em alguns países a chegada de líderes com um discurso favorável às reformas. Eles estão se tornando os queridinhos do mercado. Entre os exemplos eu destacaria Filipinas, Índia, Indonésia e México." Essas economias têm boas chances de se destacar nos próximos três a cinco anos. Já os governantes de países como Rússia, Turquia e África do Sul parecem acomodados segundo ele.


Quando questionado se era razoável para o Governo brasileiro ao atribuir a desaceleração da economia a crise de 2008 ele respondeu: "Seria razoável se admitisse que os anos de crescimento acelerado na última década ocorreram por causa dos aumentos no preço das commodities. o que a maioria dos governos faz é tomar para si o crédito quando a economia vai bem e culpar o cenário internacional quando as coisas vão mal.

Dito isso nos últimos três anos , o crescimento anual médio de mercados emergentes caiu de 7,5% para 4%, enquanto a expansão da economia brasileira passou de 4% para 1% uma queda bem mais acentuada."


A resposta do Indiano passaria despercebida não fosse um único problema, o crescimento médio no Brasil nos últimos três anos foi de 2,06% (2011, 2,7% | 2012, 1% | 2013, 2,5%) segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -  IBGE. Assim para ilustrar o erro na gestão da economia brasileira o indiano duplicou o crescimento do país nos últimos 3 anos com isso descolando a curva de desaceleração brasileira dos demais mercados emergentes e justificando seu argumento na entrevista.

Com o crescimento médio do Brasil nos últimos três anos de 2,06% apurados com os dados do IBGE comparado ao crescimento esperado por indiano para este ano de 1%, o Brasil terá uma desaceleração de 51,46% em relação ao crescimento médio. Já os países emergentes sairão de um crescimento médio nos últimos 3 anos de 7,5% para 4% terão uma desaceleração de 46,66% que colocaria o Brasil com desempenho inferior a eles, contudo longe da desaceleração proposta pelo diretor do banco que foi de 75% e com desaceleração de  4.8% maior, o que não justificaria dizer que ela é bem mais acentuada que as dos países emergentes como disse Ruchir Sharma a Exame.

exame
 Imagen: Trecho da entrevista de , Ruchir Sharma, do Banco Morgan Stanley Revista Exame. Clique para ampliar

 

O Outro lado 

 

De acordo com alguns petista consultados o tom dado a entrevista pelo diretor do Morgan Stanley, mostra claramente como está sendo criado um clima de pessimismo em relação a economia brasileira para derrubar o Governo Dilma. Os petista alegam ainda que a posição do diretor foi totalmente política e que isso é demonstrado em sua visita ao Brasil onde pode-se destacar sua conversa com o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga que atualmente é coordenador das proposta econômicas do candidato a presidência Aécio Neves. Ainda brincaram falando que na próxima eleição irão contratar o Armínio por considerarem que ele tem exercido mais influencia que o Aécio para formação de opinião do mercado.

 

 

Já um executivo de um banco concorrente que pediu anonimato disse não acreditar que Ruchir Sharma, diretor do Morgan Stanley tenha errado o dado, segundo ele que é admirador de Ruchir e já leu artigos dele em grandes jornais mundiais como The New York Times , The Washington Post , The Wall Street Journal , Financial Times somente um posicionamento político justificaria esse erro, Para ele o diretor pode ter utilizado a média do crescimento brasileiro nos últimos 3 anos do governo Lula, ao invés de usar os 3 anos do governo Dilma.

 

E para você Diretor do Morgan Stanley de mercados emergentes,   Ruchir Sharma foi ou não político em sua entrevista para a revista exame sobre a economia brasileira?

 

A reportagem entrou em contato com a coordenação da Presidenta Dilma Rusef ainda não retornou aos contatos já a Assessoria de Imprensa do Banco Morgan Stanley, não conseguiu até o fechamento da matéria contatar o Diretor Ruchir Sharma e retornar com seus comentários sobre sua entrevista.

 

Leia a entrevista "Brasil está ficando para trás, diz diretor do Morgan Stanley" e deixe sua opinião. 

Fonte de dados: IBGE, Banco Central, Jornal Valor Econômico, Jornal O Globo, Portal Terra Economia e Revista Exame

Baixe a tabela completa dos dados no site do Banco Central:

http://www.bcb.gov.br/pec/indeco/port/ie1-51.xls