Rede Sindijori de Comunicação

Categoria: COLUNA DO SIDI JORI , Criado em Quarta, 07 Maio 2014 08:21 Escrito por VcNaNeT ,
Imprimir E-mail

Maquiagem de Produtos

A Minalba e a L'Oreaal Brasil foram multadas em quase R$ 1 milhão no total por "maquiagem de produtos". As companhias foram condenadas pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ), por meio do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), por reduzir a quantidade de produtos sem comunicar os consumidores com três meses de antecedência. A Minalba reduziu as embalagens da água mineral com gás de 600 ml para 510 ml e foi multada em R$ 419.201,20. Segundo o Ministério da Justiça, a redução só é permitida desde que exista informação "prévia e ostensiva ao consumidor, no rótulo do produto, por no mínimo 3 meses,

o que não aconteceu". Já a L'Oreal Brasil, fabricante do shampoo Colorama Ultra Camomila, foi multada em R$ 543.659,25. O produto, além de ter sido reduzido de 500ml para 350 ml, sem a devida informação ao consumidor, trazia no rótulo a lista de ingredientes apenas em inglês. O Ministério da Justiça informa que o valor das multas devem ser depositados no Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), que financia ações voltadas à proteção do meio ambiente, do patrimônio público e da defesa dos consumidores.

(Portal NewTrade - São Paulo/SP)

Ano Perdido

Tornaram-se comuns no cotidiano dos brasileiros expressões do tipo "década perdida" e "ano perdido" para classificar o desempenho pífio da economia. Todos também conhecem a tese, obviamente falaciosa e folclórica, de que em nosso país o ano só começa efetivamente após o carnaval ou depois da semana santa. Neste momento, quando estamos às vésperas da Copa do Mundo, começa a se espalhar o sentimento de que 2014 será mais um desses "anos perdidos" para o Brasil, também em razão das eleições de outubro próximo. É lamentável que assim seja e, pior ainda, que as autoridades não se movimentem para impedir a paralisação do país.

O Brasil não está em condições de continuar perdendo anos e décadas. A decisão, pela Standard & Poor's de rebaixar a nota do Brasil no que se refere à sua capacidade de honrar compromissos com seus credores é o mais recente e mais grave indicador de que, em vez de ficar parado, o Brasil e os brasileiros precisam-e muito-se mexer. O crescimento do PIB brasileiro tem sido irrisório nos últimos anos e a sinalização é a de que assim será também este ano; a inflação continua rondando o teto superior da meta estabelecida pelo próprio governo, as taxas de juros voltaram a ser "campeãs" no mundo e a política fiscal expansionista segue adiante priorizando gastos de custeio em detrimento dos investimentos de apoio ao setor produtivo. A sociedade não está mais disposta a conviver com lideranças políticas que fazem das eleições seu único objetivo.

(Olavo Machado Júnior - Presidente da Fiemg - Belo Horizonte/MG)

Falta de Preparo

O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, criticou a presidente Dilma Rousseff, durante solenidade de posse do governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho. Segundo o senador, "ela não estava preparada para assumir a responsabilidade de administrar um país da complexidade do Brasil", quando ressaltou a incapacidade do governo de manter o crescimento econômico. "A presidente é uma mulher de bem. É proba. Não há qualquer dúvida em relação ao seu caráter, não há nenhum questionamento em relação à sua correção pessoal. O que há é um enorme questionamento pelos indicadores da economia, pelos atrasos da infraestrutura, pela projeção extremamente preocupante dos indicadores sociais", disse o senador. Aécio ainda criticou a resistência dos partidos da base do governo federal em aprovarem a CPI da Petrobrás. "O que nós queremos é apenas a investigação da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Nós não estamos condenando ninguém. O governo usa maioria para impedir investigações", comentou. O senador não poupou palavras para criticar o governo da presidente, e destacou atrasos na infraestrutura do país e a alta da inflação, atrelada ao pequeno crescimento econômico que o Brasil tem apresentado. "Nosso resultado é pífio. O Brasil cresceu, no ano passado, mais do que a Venezuela só na América do Sul. A nossa equação é a mais perversa de todas: inflação alta com crescimento baixo, e uma perda crescente da credibilidade do Brasil", pontuou. Perguntado sobre a Copa do Mundo, Aécio brincou, dizendo que espera que o Brasil vença a competição. Mas criticou, mis uma vez, o governo federal ao dizer que do total das obras de infraestrutura consideradas o legado do mundial, somente 23% estarão prontas. "O grande legado prometido não virá. Apenas 23% das obras para a Copa do Mundo, anunciadas pelo governo estarão prontas. Apenas 23%. Isso significa que 3/4, um pouco mais, das obras prometidas não serão entregues. Porque o governo não quis? Não, porque o governo não foi capaz", falou.

(Jornal Diário Boca do Povo - Sete Lagoas/MG)

O Caos

Observando mesmo de longe o que acontece na "Ilha da Fantasia", constatamos que a compra suspeita e perdulária de uma refinaria nos Estados Unidos pela Petrobrás desmoralizou quase por completo a presidente da Petrobrás e, no rastro, também a nossa presidente da República. Isto porque o conselho da Petrobrás tinha como chefe a senhora Dilma Rousseff, que não pediu detalhes da transação de Pasadena quando o colegiado deu aval para a transação. Quer a gente queira ou não, nossa principal empresa está no chão, graças à incompetência do governo.

As ações da Petrobrás estão no nível muito baixo e quem investiu coça a cabeça. Necessário se colocar os "pingos nos is" para que o Brasil saiba realmente o que aconteceu nessa vultuosa transação e, de quem é a culpa. A CPI neste caso cai como uma luva, já que as irregularidades são muitas e na CPI nossos valorosos parlamentares deverão investigar com rigor a compra desta refinaria americana, juntando-se a isso a suspeita de corrupção de funcionários, a insegurança nas plataformas marítimas e o super faturamento na construção de instalação no Brasil. Para encerrar esse assunto, aproveitamos trecho do editorial da Folha que diz: "Além da corrupção, o tema central da CPI deverá ser o profundo descaso com os fundamentos do negócio relativos à compra da refinaria, que causou prejuízo imenso ao país, cuja responsabilidade é de muita gente da cúpula". Será que um dia iremos acabar com estas gangues que atuam em quase todo o país? Vamos aguardar. Quem viver, verá. E o Porto e o Aeroporto de Cuba ? Quem paga a conta é o governo ou o povo brasileiro.

(Francisco Risola - Associação Sulmineira de Imprensa-Poços de Caldas/MG)

Novo Governador

O vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP) assumiu de forma definitiva o governo de Minas após a renúncia de Antonio Anastasia (PSDB). O novo governador tomou posse na Assembléia Legislativa. É um governo que dá continuidade, que tem o mesmo norte, a mesma filosofia, os mesmos princípios e, naturalmente, o que nós pretendemos é levar a cabo até dezembro deste ano o legado deixado pelo governador Antônio Anastasia, disse. O novo governador deverá olha um pouco mais para o interior de Minas, tão esquecido pelos anteriores. Vamos ver para crer.

(Jornal da Cidade - Poços de Caldas/MG)

Não há glamour em governar

Aos 52 anos, Antonio Anastasia deixa o Palácio Tiradentes antes do fim do seu mandato para coordenar a campanha do senador Aécio Neves, pré-candidato à Presidência da República, e a sua própria campanha rumo ao Senado. Deverá ser eleito com maciça votação. E não mudou. Continua cultivando hábitos simples, como andar pela cidade sem seguranças. E acha que governar é uma função como tantas outras: "Estou aqui para atender às pessoas". Prova de que a imagem de personalidade política e grande puxador de votos, que conquistou, não lhe subiu à cabeça. Segundo a mais recente pesquisa de opinião, realizada em dezembro de 201, que avaliou o desempenho dos governadores brasileiros, Anastasia tem a aprovação de 63% dos mineiros, ficando entre os cinco mais bem avaliados do país. "Minas é o estado que tem a melhor administração do Brasil", diz Anastasia. "Quem afirma isso não sou eu, é o Banco Mundial e o Banco Interamericano. "Há 12 anos sem tirar férias longas, ele pretende descansar por algumas semanas, antes de mergulhar de vez nos novos desafios. "Fiz o melhor que pude", diz. "Mas o título de professor é o que mais me honra".

(Revista Encontro - Belo Horizonte/MG)

Reflexão

De todas as transformações que o nosso país enfrenta, não tenho dúvida que a pior delas é inversão de valores. Não estou falando dos atores, mas da platéia. Quem determina o sucesso de um espetáculo é o público. Por melhor que sejam os atores e o enredo, se o público não aplaudir, a turnê acaba. Nós somos a sociedade, nós somos a platéia, nós dizemos qual o espetáculo deve acabar e qual precisa continuar. Se nós estamos aplaudindo coisas erradas, se damos ibope a pessoas erradas, de que estamos reclamando afinal ? Somos nós que continuamos consumindo notícias de bandidos presos e condenados. Somos nós que consumimos notícias de arruaceiros que ganham mesada para depredar o nosso patrimônio. Somos nós que damos trela para beijaços, toplessaços, marcha de vadiaças, dos maconheiraços, dos super-heróis que batem ponto em "manifestações" (e que gostam de cozinhar-se dentro de uma fantasia num sol de 45 graus), e todos os tipos de histéricos performáticos que querem seus 15 minutos de fama. Quando fazemos isso, estamos dando-lhes valores que não têm. Estamos dando-lhes atenção. Estamos dedicando-lhes o nosso precioso tempo. Passou da hora de dar um basta nisso ! Por que os nossos jornais estão recheados de funkeiros ao invés de medalhistas olímpicos do conhecimento ? Por que vende-se mais jornal com notícia de um funkeiro que largou a escola por já estar milionário, do que de um aluno brilhante que supera até seus professores? Por que sabemos os nomes dos BBBs e não sabemos os nomes dos nossos cientistas que palestraram no TED*? Por que muitos não sabem nem o que é o TED ? Ou Campus Party**? Por que um evento histórico para o Brasil como o ingresso da primeira turma feminina da Escola Naval não é noticiado ? Por que um monte de alienadas com peitos de fora, merecem mais as manchetes do que as brilhantes alunas, que conquistaram as primeiras 12 vagas, da mais antiga instituição de ensino superior do Brasil ? Por que nós continuamos aplaudindo a barbárie, se ainda temos valores ? O país não mudará se nós não mudarmos o foco ! Os políticos não mudarão se nós não refletirmos a sociedade que queremos ! Já passou da hora de nos posicionarmos !

(Sra. Carla Andrade - Belo Horizonte/MG)

Avaliação do Governo Dilma

A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff caiu entre fevereiro e abril deste ano, segundo pesquisa divulgada na última terça-feira (29) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Há dois meses, 36,4% da população avaliavam positivamente o governo. Em abril, esse percentual caiu para 32,9%. A avaliação negativa do governo, em contraponto, aumentou, alcançando 30,6%, contra os 24,8% da pesquisa anterior. O desempenho pessoal da presidente também oscilou para baixo, passando de 55% para 47,9%.

(Jornal Diário Digital Via Fanzine - Itaúna/MG)