Lei que reforma a CLT é publicada no Diário Oficial da União

Categoria: Destaques , Criado em Sexta, 14 Julho 2017 10:09 Escrito por Agência Brasil ,
Imprimir E-mail

carteira de trabalho

A Lei nº 13.467, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943, também chamada de Lei de Modernização Trabalhista, está publicada na edição de hoje (14) do Diário Oficial da União.


 A Lei foi sancionada ontem (13) pelo presidente da República, Michel Temer, que, em cerimônia no Palácio do Planalto, na presença de ministros e parlamentares, entre outras autoridades, disse que os direitos dos trabalhadores estão sendo preservados.

“Este projeto de Lei é a síntese de como esse governo age. Como eu tenho dito, o diálogo é essencial, mas também a responsabilidade social. Estamos preservando todos os direitos dos trabalhadores. A Constituição Federal assim determina”.

A aprovação da reforma, tida pelo governo como uma de suas prioridades, divide opiniões. Mas o presidente e sua equipe garantem que a modernização da CLT vai aumentar a geração de empregos e dar segurança jurídica tanto para empregados quanto para empregadores.

“O que fizemos foi avançar. Contratos que antes não comportavam carteira assinada hoje estão previstos expressamente. Nossa consolidação, que foi na época um grande avanço, é de 1943. É claro que o mundo não é mais de 1943, é do século 21. E fizemos a adaptação ao século 21. Hoje há uma igualdade na concepção. As pessoas são capazes de fazer um acordo, de um lado os empregados, de outro, os empregadores”, frisou Temer.

Pontos polêmicos

Alguns pontos da lei, no entanto, serão alterados após diálogo com o Congresso. O governo enviou aos parlamentares uma minuta com os pontos da medida provisória (MP) com a qual pretende alterar a reforma trabalhista. A minuta toca em dez pontos da reforma, entre eles temas polêmicos que foram discutidos durante a tramitação, como o trabalho intermitente, a jornada 12 por 36 horas e o trabalho em condições insalubres das gestantes e lactantes.

Segundo o líder do governo senador Romero Jucá, relator da reforma na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), não há prazo definido para a conclusão da MP e há tempo para sua edição. “Encaminhei hoje [a MP] para vários parlamentares os pontos que são objeto do acordo no Senado para serem discutidos. Na hora que estiverem amadurecidos, a MP será editada. Não tem previsão. É importante dizer que esta lei só vale daqui a 120 dias. Para ter uma medida provisória que modifique a lei, ela tem que ocorrer antes de 119 dias. Então nós temos um prazo razoável”, disse.

Veja o que mudou:

reforma trabalhista quadro2


Destaques

Ex-presidente da Câmara Municipal de BH é considerado foragido

Seis pessoas foram presas preventivamente hoje (18) naOperação Sordidum Publicae (Político Sujo), deflagrada...

Leia Mais...




Minas

Justiça suspende obrigação de Samarco, Vale e BHP depositarem R$ 1,2 bi

A Justiça Federal suspendeu por tempo indeterminado a decisão que obrigava a mineradora Samarco e suas...


Ibama multa Anglo American em R$ 72,6 milhões por rompimentos de mineroduto

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou ontem...


MP cobra cumprimento de medidas de reparação a atingidos por tragédia de Mariana

Diferentes  segmentos do Ministério Público e da Defensoria Pública se articularam para questionar...




Brasil

Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza

Mais de 40% de crianças e adolescentes de até 14 anos vivem em situação domiciliar de pobreza no Brasil,...


Ministro libera para julgamento primeira ação de político da Lava Jato

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello liberou hoje (23) para julgamento a...


Ibope: só 19% dos brasileiros pretendem ter filhos nos próximos 2 anos

Nos próximos dois anos, apenas 19% dos brasileiros pretendem ter filhos, 17% por gravidez e 2%...




Mundo

Trump negocia com Coreia do Norte libertação de três norte-americanos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (18) que está negociando a libertação de...


Presidente do Facebook reconhece que plataforma precisa ser regulada

O presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, admitiu a importância de uma regulação dos serviços...


Conselho de Segurança da ONU faz nova sessão sobre ataque químico no Reino Unido

O Conselho de Segurança das Nações Unidas voltou a discutir esta quinta-feira (5), em Nova York, o ataque...