Polícia Civil intensifica ações para combater os crimes contra as relações de consumo, ordem econômica e economia popular

Categoria: Casos de Policia , Criado em Quarta, 30 Maio 2018 18:16 Escrito por PC MG ,
Imprimir E-mail

21484 delegacia movel

Delegacia Móvel já foi instalada na Praça da Liberdade para agilizar a atuação dos policiais

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) intensificou nesta quarta-feira (30/5) as ações para combater crimes contra as relações de consumo, ordem econômica e economia popular. Serão vistoriados em todo o estado, além de postos de combustíveis, supermercados, açougues, sacolões e outros estabelecimentos comerciais para evitar que o consumidor pague mais caro pelos produtos, durante a paralisação dos caminhoneiros.

Também estará na Praça da Liberdade, entre 9h e 17h, a Delegacia Móvel da PCMG, para que a população registre boletins de ocorrências contra qualquer estabelecimento que esteja cobrando preços abusivos pelos produtos, além de ratificar os flagrantes encontrados pelas diversas equipes que estarão rodando toda a cidade. A Delegacia Móvel ficará no local enquanto perdurarem os problemas de ordem econômica decorrentes da paralisação dos caminhoneiros. No interior, as ações devem ser feitas nas delegacias de plantão espalhadas por todo o estado.

A Polícia Civil já vem realizando ações deste tipo desde a última quinta-feira (24/5), quando foram vistoriados 13 postos de combustíveis. Na terça-feira (29/5), mais 25 postos foram fiscalizados, totalizando 38 estabelecimentos visitados pela PCMG.

O superintendente de Investigação e Polícia Judiciária, delegado-geral Carlos Capristrano, falou sobre a atuação da Polícia Civil. “Temos várias equipes em campo. Aqui na Praça da Liberdade estamos com a Delegacia Móvel, onde vamos receber as demandas da população e também ratificar possíveis prisões que venham a ocorrer decorrente das operações”, disse. “A abordagem é de fiscalização. È verificar se o comércio está praticando preso abusivo até por demanda da própria população”, completou.

“Vamos intensificar essas ações buscando coibir e responsabilizar essa prática abusiva. São 40 policiais atuando na Grande Belo Horizonte, além das equipes que atuam em todo o Estado”, enfatizou o superintendente.

Um delegado estará de plantão durante 24 horas no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) na capital, para analisar e identificar de forma mais rápida ações que devem contar com a interferência da Polícia Civil. O Departamento de Operações Especiais (Deoesp) e a Delegacia do Consumidor estarão funcionando normalmente durante esses dias para reforçar o atendimento e garantir a segurança da população.