Suspeito de matar grávida durante festa é preso no centro de Betim

Categoria: Casos de Policia , Criado em Quinta, 05 Abril 2018 09:36 Escrito por PC MG ,
Imprimir E-mail

19156 mesa 2

O desentendimento durante uma festa de aniversário está sendo apontado pela Polícia Civil como motivação para a morte da grávida Thayna Winy Ferreira Silva, de 18 anos. Em razão desse homicídio, Peterson Tharso Lima de Jesus, de 22 anos, foi preso na última quarta-feira, dia 28 de março, durante abordagem policial no centro de Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte, cidade onde ocorreu o crime. Thayna foi assassinada com um tiro, no dia 3 de fevereiro deste ano, no bairro Cidade Verde.

Conforme investigação, no dia do fato, por volta das 23h, Peterson estava reunido em casa com amigos para comemorar o aniversário, quando chegou um grupo convidado por outro amigo do suspeito. No portão do imóvel, Thayna e os amigos foram impedidos de entrar, visto que Peterson e a namorada não consentiam com o convite feito aos jovens.

Segundo o Delegado responsável pelo inquérito policial Otávio de Carvalho, “a vítima e seus amigos solicitaram falar com a pessoa que os havia convidado, que estava na festa, tendo todos aguardado no portão”. No entanto, o grupo não foi atendido, momento em que o suspeito foi até a porta da casa, iniciando uma discussão. Logo em seguida, Peterson voltou para o interior do imóvel retornando armado, gritando e correndo atrás do grupo. Durante a confusão, um jovem foi agredido com o cano do revólver.

Como estava grávida de três meses, Thayna informou sua condição ao suspeito, permanecendo na entrada da casa. Sem se importar com o relato da jovem, Peterson atirou contra Thayna, fugindo em seguida, sem prestar socorro. A vítima ainda foi encaminhada para o hospital, mas não resistiu e morreu.

Para o Chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Rogério de Melo Franco, a apuração desse crime é uma resposta rápida do Estado, visando combater a banalidade da violência e o sentimento de impunidade.

Peterson, que irá responder por homicídio qualificado e aborto, já tinha antecedentes criminais por estelionato, receptação, associação criminosa e falsificação de documento particular. Ele foi encaminhado ao Sistema Prisional.